sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Carta de uma mãe-dona-de-casa, para uma mãe que trabalha

Querida mamãe que trabalha,

Eu sei que às vezes te julgam por deixar seus filhos aos cuidados de outras pessoas para que você possa ir trabalhar. Alguns (infelizes) até insinuam que você não ama os seus filhos tanto quanto nós, mães-donas-de-casa amamos, e dizem que o melhor para as crianças é ficar em casa com suas mães.

Como eles podem dizer isso a você? Eu sei o quanto você ama seus filhos... Tanto quanto qualquer outra mãe! Eu sei que voltar ao trabalho não foi uma decisão fácil. Sei que você pesou os prós e os contras, muito antes do bebê nascer. Sei que essa foi uma das decisões mais importantes da sua vida. Você já pensava sobre isso mesmo enquanto estava no colégio escolhendo as matérias que faria no segundo grau.

Eu te vejo em todos os lugares. Você é a médica que eu levo meus filhos quando estão doentes. Você é alergista do meu filho, aquela que diagnosticou a alergia a amendoim. Você é a fisioterapeuta que tratou a coluna do meu marido. Você é a contadora que faz nossas declarações fiscais. A professora da escolinha do meu filho. A diretora do nosso centro de acolhimento infantil. A professora de ginástica da minha filha. A corretora de imóveis que nos vendeu a casa.
Que tipo de mundo viveríamos se você não estivesse lá para nós? Se você tivesse sucumbido às pressões daqueles que insistem em dizer que lugar de uma mãe é em casa?

Eu sei que você tenta conciliar o trabalho para atender a sua família. Eu sei que você acorda uma hora antes que todo mundo, para deixar alguma tarefa pronta, ou para ter um tempo em silêncio. Sei que você já participou de reuniões no trabalho, mesmo não tendo dormido nada a noite porque teve que ficar acordada com seu bebê. Eu sei que quando você chega em casa à noite o "segundo turno" começa . Os pessimistas não entendem que você executa o trabalho de uma dona de casa, e ainda trabalha fora! Você chega em casa, faz o jantar, dá banho nos filhos, e lhes conta histórias. Você os acolhe e lhes dá beijos de boa noite. Você paga as contas, faz as compras do supermercado, faz o serviço de lavanderia, lava a louça, assim como qualquer outra mãe faz.

Eu sei que muitas vezes você se sente culpada por passar tanto tempo longe dos seus filhos, e assim, sacrifica seu tempo de lazer. Eu sei que você não consegue curtir um tempo livre para si, nem quando seus filhos estão na creche. Eu sei que você teve que aceitar que o trabalho é o seu "tempo livre" agora. Eu sei que quando você está no trabalho você não desperdiça um minuto sequer. Eu sei que você almoça em sua mesa, não sai para tomar um café, e mostra total dedicação e concentração com seu trabalho. Afinal, você escolheu estar lá. Você quer estar lá.

Eu sei o quanto você é exigente com quem está cuidando dos seus filhos, e que muitas creches oferecem um excelente atendimento. Eu sei que você só deixa seus filhos em um lugar onde você confie que eles são amados e bem cuidados. Sei que quando seus filhos ficam doentes, você passa os dias que forem necessários cuidando deles em casa, mesmo que tenha que sacrificar seu salário por isso. E eu sei que secretamente, você gosta desses dias, pois se lembra o quão capaz você é de tomar conta dos seus filhos.

Eu sei que às vezes você se sente culpada por não estar lá o tempo todo. Mas querida mamãe-que-trabalha, eu sei que não é fácil. Você está dando um exemplo maravilhoso para os seus filhos. Você está mostrando a eles que uma mulher pode ter uma carreira, contribuir de alguma forma fora de casa, e ainda assim, ser uma mãe maravilhosa. Você está mostrando aos seus filhos que eles podem fazer o que quiserem na vida. Você está exibindo a força, a resistência, dedicação, persistência, e você faz isso com muita alegria e amor.

Eu apenas queria que você soubesse que eu entendo. Porque nós duas somos mães.



Com amor,

Mãe-dona-de-casa

(Texto extraído e traduzido por mim, daqui)

66 comentários:

  1. Respostas
    1. Estou chorando muito pensando nas maes que necessitam trabalhar fora.

      Excluir
  2. Lindo e perfeito. Sou uma mãe que trabalha fora e esse texto reproduz exatamente meus sentimentos!

    ResponderExcluir
  3. Texto maravilhoso!

    ResponderExcluir
  4. Lindo texto, diz tudo! ;-)

    ResponderExcluir
  5. Ótimo texto. Acho que as mulheres deveriam parar de apontar os dedos umas pras outras e cobrar maior participação dos pais. Queremos abraçar o mundo e esquecemos que eles também são responsáveis.

    ResponderExcluir
  6. Lindo texto!
    Palavras de compreensão são infinitamente mais fortes que qualquer julgamento.

    ResponderExcluir
  7. Ótimo! Mas ainda vou escrever um no meu blog da minha angústia de ser mãe que trabalha fora... parabéns!

    ResponderExcluir
  8. Ai que lindo! Obrigada pela msg, assim fez meu coração sentir-se um pouco menos culpado...

    ResponderExcluir
  9. Me preocupo com esta frese: "Você está mostrando aos seus filhos que eles podem fazer o que quiserem na vida." E pergunto: - será?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com você Carina. Me faço a mesma pergunta.

      Excluir
  10. lindo texto!
    vou postar no meu face.

    ResponderExcluir
  11. Concordo que muitas mães precisam trabalhar fora e que realmente nos sentimos como foi relatado, mas não concordo que isso seja o melhor para os filhos. Sinto muito dizer, mas a crise de valores morais e éticos são fruto da confusão causada pela ausência da mãe dentro de casa....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Discordo totalmente do seu: crise de valores morais e eticos são frutos da confusão causada pela ausencia da mae dentro de casa. Minha mãe trabalhou a vida inteira. Se desdobrava em 2. Meu pai professor,trabalhava de dia, minha mae na madrugada. Tudo para criar as 3 filhas. Sejamos prudentes: se fosse por falta de valores morais e eticos, todas mães de politicos tinham sido trabalhadoras - coisa que eu duvido muito. Se tivessem trabalhado eles teriam dado valor ao dinheiro e nao saiam roubando por ai!

      Excluir
    2. Concordo plenamente, tem maès que passam o dia todo com os filhos,mas esse tempo nào tem qualidade nenhuma, as màes que trabalham fora tem menos tempo com seus filhos é tanta qualidade que supera o aquelas que nào trabam fora.

      Excluir
    3. Sempre trabalhei e me orgulho da pessoa que sou e do que posso dar de mim para as minhas filhas. Me preocupo em estar próxima, mesmo não estando fisicamente, mas elas tem a certeza que podem contar comigo onde eu estiver!

      Excluir
    4. Trabalhei a vida toda e cuidei da minha casa e dos meus filhos, quem deveria tomar conta deles enquanto eu estava no trabalho era muito bem escolhido, assim como as escolas, participei sempre de toda vida deles, em todas as etapas, ateh casarem-se. Hoje tenho muito orgulho deles, como marido, esposa, pai, mae e profissionais que são. Vou um dia partir deste mundo com a certeza de que deixei dois seres que soh ajudarão este mundo a ser melhor, através tb dos ensinamentos que dao aos seus filhos, vao perpetuar a educação que tiveram.

      Excluir
    5. Existe uma grande confusão no texto, apesar de nitidamente buscar consolar os corações apertados de mães que não tem outra opção senão trabalhar fora e deixar seus filhos com terceiros.
      A confusão é que as pessoas querem atribuir sucesso na educação dos filhos ao ficar em casa, e não é assim! Porém, não há como discordar de que uma mãe que fica em casa com os filhos tem MUITO mais chance de lhes dar boa educação do que uma mãe que trabalha fora de casa. Isso é fato! Porém, vai depender de cada mãe! Se ela aproveitar bem o tempo, vai dar muita educação e fundamento de família pra essas crianças, porém, se não aproveitar o tempo disponível, pode ser ainda pior do que aquela mãe que trabalha fora!
      Portanto, concordo que a probabilidade é muito maior de crianças serem mais bem educadas com o acompanhamento da mãe diariamente, mas ressalvo que a mãe que escolhe isso hoje, terá que desenvolver a capacidade de não ligar para opiniões contrárias, pois haverão muitas!
      O que precisamos tomar cuidado (e tenho certeza que foi isso que a autora desse comentário quis dizer) é com a banalização da família (que tem ocorrido em demasiado) e o incentivo à individualização. Uma mãe de verdade (mesmo!) não deixa seu filho doente pra ir na festa da empresa..... uma mãe de verdade se anula para investir na saúde e felicidade dos seus filhos! O que vemos muito hoje em dia é bem o contrário disso, infelizmente!
      No meio disso tudo, existe em grand número, mulheres que PRECISAM trabalhar! Até gostariam de ficar em casa cuidando dos filhos, mas não podem... precisam complementar a renda do marido... e outras, são o sustento de uma família! Nesses casos, trabalhar não é satisfazer um desejo individualista, mas uma necessidade familiar! Aí não há alternativa, portanto a mãe acaba tendo que se desdobrar em muitas mulheres ao mesmo tempo! Não é nada fácil!
      Portanto, a mãe pode fazer o que ela achar que precisa fazer (trabalhar fora ou ficar em casa), mas ela tem que ser consequente e estar atenta à vida dos seus filhos! Mãe é mãe! Não adianta querer passar a tarefa de ser mãe para o pai! Ele tem que ajudar, mas mãe é mãe e ponto final! Quando isso mudar (mãe virar pai), o mundo estará de cabeça pra baixo!
      Muito amor para todas vocês que são e podem ser mães! Não reneguem ou ignorem tal bênção de Deus!

      Excluir
    6. Realmente não é fácil ser mãe,trabalhando fora ou não, mas quando amamos esta deliciosa missão nos desdobramos em mil!!! É possível sim e podemos estar presentes sempre,de várias formas...É só aplicar muito amor e tudo é possível e dá certo!!!

      Excluir
    7. Parabéns ao texto e pensamento do anônimo que escreveu no dia 8 de março. Ser mãe e trabalhar fora nem sempre é opção, mas sim falta de opção, como foi meu caso. Conflitante e gera muito sentimento de culpa.

      Excluir
  12. Nem sempre!! Uma mae nao precisa estar dentro de casa todo o tempo para mostrar valores morais ou eticos!! Elas podem sim trabalhar fora e ajudar na educacao dos filhos! Tudo tem que haver consenso!! So sei de uma coisa: Maes, " donas de casa" sao as mais frustradas no futuro!! Filho e bom, otimo, mas pensem em voces tambem, no bem estar! ! Bom , cada um tem sua opiniao, e nao podemos generalizar!! Nem todas acham bom trabalhar fora, e nem todas querem ou sao felizes sendo dona de casa!! Simples assim!

    ResponderExcluir
  13. Minha mãe trabalhava mais de 8 horas por dia e nem por isso eu deixei de aprender valores morais e éticos...apesar da ausência nessas horas, meus pais sempre fizeram questão de fazer programas em família nos finais de semana, sempre viajávamos juntos, só lembro deles viajando a sós quando já éramos adultos praticamente...nunca me senti abandonada e sempre tive a minha mãe como inspiração, uma mulher forte, determinada, corajosa, honesta e batalhadora...um exemplo!!!

    ResponderExcluir
  14. O importante é a qualidade e não a quantidade, se uma mãe está o tempo todo em casa e fica o tempo todo gritando com seus filhos, não dá atenção, não dá amor, fica o tempo todo no facebook não adianta nada, seus filhos sentirão a sua falta da mesma forma, outras trabalham fora e quando estão com seus filhos sabem dar amor com tanta intensidade que isso se torna indiferente. Entende?

    ResponderExcluir
  15. Agora sei com é dificil, porque estou voltando ao trabalho, depois de 4 meses junto do meu bebê. Esta sendo muito difícil.

    ResponderExcluir
  16. Incrível é lerem um texto que era pra apaziguar e conseguirem transformar em discussão nos comentários... OBRIGADA por publicar! Texto fofo, nos eximindo da culpa.... Não existirá culpa ou frustração que resista a uma mãe dedicada, consciente e sensível ao chamado do filho, seja qual caminho escolher... Dúvidas sempre existirão, prós e contras tb....

    ResponderExcluir
  17. Muito real e que saibamos respeitar a escolha de cada mãe (lembrando que para muitas nao eh simplesmente uma questao de escolha, eh pura necessidade), pq assim ensinaremos um dos mais primários ensinamentos, respeito ao outro...

    ResponderExcluir
  18. "Você é a médica em cujo consultório eu levo meus filhos quando estão doentes.", e não "Você é a médica QUE eu levo meus filhos quando estão doentes." !

    ResponderExcluir
  19. O texto é tão lindo que esse comentário se torna dispensável...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo ! Sou a mãe Biomédica, que realiza os exames dos filhos, das mães, dos pais...Português, dispensável, emergências, realizadas.

      Excluir
  20. Li esse texto chorando... Sou mãe que trabalha, na segunda licença maternidade e passando pelo mesmo conflito da primeira: voltar ou não! Sei quite voltarei pois amo o que faço, mas meu coração dói apertado e sempre, sempre, me desdobro em duas ou mais para poder estar o mais presente pois possível na vida deles.
    Seja quem fipe o autor ou autora, obrigada por expressar nossas conquistas e nossos conflitos diários com sensibilidade e perfeição!

    ResponderExcluir
  21. Sempre trabalhei fora de casa. Hoje, perto da aposentadoria, um tanto tarde, me arrependo amargamente por ter ficado muito tempo longe de meus filhos. Se tivesse outra chance, faria a escolha de dedicar mais ao lar, ao esposo e aos filhos que Deus me confiou.

    ResponderExcluir
  22. Gostaria de ler um texto dedicado às mães "dona de casa",pois as nossas renúncias também são enormes e a cobrança por qualidade no ato de ser mãe dobra. Pude escolher ser mãe "dona de casa" e acredito que esse seja o melhor caminho para a minha família...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo plenamente! O texto "endeusa" a mãe que trabalha fora. Isso só deixa mais claro como a "mãe dona de casa" não é reconhecida pelo que faz. Isso porque, essa também praticamente não tem momentos de lazer, "trabalha" 24hs por dia e não tem reconhecimento algum, seja uma promoção, seja um elogio no dia a dia pelo belo trabalho que desempenha. Ao optar por ser mãe "dona de casa" a mulher renuncia à carreira, à vida social que existe quando se trabalha fora e sim, aos momentos que pode passar só. Ser mãe "dona de casa" ou "que trabalha fora" são duas escolhas igualmente difíceis. Nenhuma é melhor do que a outra, como o texto sutilmente tenta passar.

      Excluir
    2. super concordo!!!

      Excluir
    3. Olá, o texto "Carta de uma mãe que trabalha, para uma mãe dona de casa" foi publicado anteriormente. Espero que gostem!

      Excluir
    4. O outro texto foi publicado ANTES desse, mas as rainhas do mimimi têm que dar o ar da graça!

      Excluir
  23. Hoje nas escolas temos um grande numero de alunos (as) mal educados, briguentos de fraco desempenho em varias matérias e na grande maioria da vezes por falta de acompanhamento dos pais que focam grande parte de sua atenção em seus trabalhos, de uma certa forma achando que os professores tem que além de cuidar da educação didática, tem também que cuidar da educação comportamental de seus filhos, meu falecido pai sempre trabalhou para manter a nossa família e minha mãe sempre em casa com foco em nossa educação e os afazeres da casa e todos nós sobrevivemos, hoje em minha família, somente eu trabalho e não deixo faltar nada e de vez em quando ainda sobra uns dindim para lazer em família , tenho três filhos e uma filha, pela qual irei fazer de tudo para finalizar todos os seus estudos e tenha um ótimo emprego e irei orientá-la para que tenha filhos quando estiver financeiramente tranquila, para que possa dedicar tempo integral em suas educações.

    ResponderExcluir
  24. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  25. ME identifiquei muitooo... estou vivendo os dois lados da moeda com a chegada do primeiro filho me transformei na mãe que trabalha e com a chegada da segunda, decidi virar a "do lar" e de blog em blog caí aqui e ja add nos preferidos... ainda temos mais algo em comum...tmb me chamo Stéphanie...rs

    www.mamybrasil.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  26. Esta é bem minha história de vida e não tive como conter as lágrimas ao ler sua linda carta. Obrigada por nós entender tão bem.

    ResponderExcluir
  27. lendo o texto e vendo os comentários ,mesmo a autora colocando de indiferente das situações ambas são mães ,há pessoas que julgam,condenam,outras se defedem,outras se aliviam por alguém entender...na minha opinião a mãe,trabalhando fora ,ou do lar,ela jamais deve esquecer ou transferir o seu papel,deve sim contar com o pai,ele fazendo o papel de pai presente(não somente que paga as contas,o que poe comida a mesa,e fica omisso as febres ,as brincadeiras,as brigas ,os ensinamentos de careter,eticos,......)pois é fácil falr ,meu pai fez assim,minha mãe fez assado,cada um vive sua realidade,e respeito as pessoas,isso estando fora ou dentro de casa,temos o dever de ensinar!se existisse o respeito pela mãe q trabalha fora e mãe q fica em casa,pra começar esta carta nem existiria,pois respeitaríamos cada um a sua escolha ou necessidade,facil julgar,facil falr,dificil é viver a situação,sozinha,sem apoio,nem da sociedade,muitas vezs da família e o mais agravante do companheiro,marido,pai dos seus filhos,pois seja pelo orgulho.ou necessidade,ela esta pra acrescentar o orçamento,pra poder dar estudo melhor,casa,comida ,conforto,etc,e o tal respeito cabe tanto o pai como a mãe dar ao seu filho ,valores não é somente mae que tem dar,os dois juntos,casamento chama-se :parceria,respeito,companheirismo,dialago,acolhimento,RESPEITAR E ENTENDER A NESSECIDADE DO OUTRO!se começarmos a fazer isso e ensinar a nossos filhos ,trabalhando fora ou não ,com certeza,metade do problemas,que atravez do respeito,vc ensina a obediencia,atravez do respeito,vc ensina a não roubar,atravez do respeito vc ensina outra coisa mais importante ainda q vc deve amar a sua mae esteja ela dentro de casa ou não ,pois ela so que o seu bem,e q vc é a vida dela.......respeitar opiniões ,naõ quer dizer que vc não tenha q falr nada,e sim ,ouvir,comentar sem maldade,sem julgamento,ao contrario entendimento,isso é amor ao próximo ....amo ser mãe ,já trabalhei fora quando minha filha era pequena,e sempre passei pra ela a importância do meu trabalho!e amo ser mãe e amo trablhar fora

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Melhor comentário até agora!
      Pai não serve só para pagar as contas - acho que aí que mora o maior erro de nós mulheres, buscar todas as responsabilidades para si.
      Ficar em casa ou voltar a trabalhar é escolha de cada um. E deve ser uma escolha sem culpa mesmo quando não for por necessidade! Nem toda mulher quer abrir mão da carreira profissional e nem toda profissional quer abrir mão de ser mãe. Esse tipo de texto está aí justamente para tentar parar com o estigma de "mãe insensível" das que trabalham assim como o texto anterior com o estigma de "dondoca" da mãe dona de casa. Os dois estigmas são cruéis então vamos apontar menos dedos e tentar compreender melhor o lado de quem é diferente de nós.

      Excluir
  28. Eu achei que conseguiria voltar trabalhar fora de casa, deixar minha filha com minha mãe ou com o meu marido. Não posso. Simplesmente não consigo, não quero e não farei. Vou trabalhar em casa, pelo menos até que ela tenha uns 2 anos de idade (se eu conseguir). Sou profissional liberal e tenho uma boa carreira. 7 anos no mesmo escritório e amo a minha profissão e as minhas razões não passam muito por questões de educação, é o afeto, o amor e a necessidade de poder sentir o cheirinho dela toda vez que eu sentir vontade. Não me importo em ganhar menos dinheiro e estagnar uma carreira que estava decolando (segundo meu chefe). Minha maternidade foi escolhida, sonhada, planejada e pensada demais para que eu priorize qualquer outra coisa. Uma criança precisa muito mais de um monte de abraços, carinhos, beijinhos do que colégios caríssimos e aulas de tudo o que é coisa. Dá para viver com menos, não dá para viver longe dela...kkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parabens mae.vc ta contribuindo com o mais importante pra crianca: a saude emocional

      Excluir
  29. Concordo com a autora do texto. Quando meus filhos eram pequenos, eu trabalhava no horário da manhã, enquanto eles estavam na creche e depois na escola. Quanto muito pequenos, eu ficava 100% do tempo com os bebês, cuidando, alimentando. Hoje em dia, eles são adultos e tenho 4 netos. Todos se formaram, têm sucesso, são alegres e felizes em suas famílias constituídas. Sou uma profissional de sucesso e em paz com minha vida e decisões.

    ResponderExcluir
  30. Obrigada pelas lindas palavras, precisava ouvir isso para sentir uma mãe menos pior.

    ResponderExcluir
  31. Lindo texto, mas não se aplica a boa parte das mães que trabalham fora, infelizmente. :(
    Ja trabalhei em creche e tem MUITA mãe que deixa o filho com QUATRO meses, dois meses antes da licença maternidade acabar. Não consigo ver amor nisso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara Aline. Empresas privadas, na sua grande maioria, tem apenas 4 meses de licença maternidade. Não julgue as pessoas sem saber suas histórias. Se você ouvir e tentar compreender verá que amor de mãe não se mede dessa forma. Abraços

      Excluir
  32. Para ver quem julga mais e quem é mais julgada é só comparar os comentários deste texto com os da outra carta

    ResponderExcluir
  33. Gostaria de lançar uma sugestão de discussão. Parece que na maioria das postagens, se nos fosse dado o direito de escolher, gostaríamos de passar mais tempo(de qualidade, etc...etc....) com nossos filhos. O que poderia ser cobrado das empresas, governo, partidos, para que tivéssemos o direito de realmente optar?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Para ter realmente o direito de optar você precisa de um parceiro que trabalhe fora e ganhe o suficiente para sustentar toda a família no nível financeiro que vocês desejam.
      Governo, partido nem empresa alguma vai te sustentar em casa por toda a vida para cuidar dos filhos, não é função deles.
      Você pode até trabalhar fora de casa menos horas mas vai ter que se virar com um salário menor (afinal você ganha o quanto produz e também não seria justo com os homens e mulheres que trabalham tempo integral, certo?).

      Excluir
  34. "As crianças com menos de 3 anos de idade querem apenas uma coisa: o cuidado individual. Mesmo os melhores berçários e creches não conseguem proporcionar esse vínculo fundamental. Mas como conciliar as necessidades do bebê com a vida profissional e a perspectiva de renda maior? O famoso terapeuta Steve Biddulph revela no livro criando bebes felizes o segredo para a criação de seres humanos mais amorosos e equilibrados." minha opção foi diminuir muitos coisas em minha vida e ficar um período com minha filha, mas isso depende de cada pessoa, onde muitas mulheres acabam se sentindo menores por estarem com seus filhos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então vai lá na carta da mãe que trabalha para uma mãe-dona-de-casa e desfrute! Aqui é pras pessoas que fizeram outra opção.
      E engraçado que esse terapeuta "provavelmente" não é mãe, né? rsrsrs

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    3. A minha intensão foi dar uma sugestão de leitura para as mães que estão encerrando seu período de licença maternidade e que ainda estão indecisas com relação ao que fazer.
      Este livro me ajudou muito, pois quem escreve é um médico Psiquiatra, cientista e escritor, que publicou em mais de 60 países, foi considerado o autor mais lido da última década.
      Ele pode não ser mãe, mas existem pais que tem a cabeça muito melhor que muitas mãe.
      Desculpe, mas não tinha conhecimento que nesta página só poderia ser postado comentários de "mães que trabalham".
      O conhecimento que uma leitura pode trazer nunca é demais.

      Excluir
    4. Olha, se a sua intenÇão foi essa, então até que foi legal da sua parte. Mas realmente achei que pareceu mais que vc queria julgar quem trabalha. Principalmente pela sua última frase, que as mulheres resolvem voltar a trabalhar por se sentirem "menores" ao ficarem com seus filhos. Assim como sua escolha foi muito mais complexa que isso, a de quem escolhe voltar a trabalhar tb. E essa carta foi um dos raríssimos textos que tenta fomentar a PAZ entre os dois grupos de mães, mas veio um monte de gente, inclusive vc, tentando fazer mais uma vez as mães que trabalham se sentirem mal. A outra carta foi respeitada, esta não.

      Excluir
    5. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    6. Obrigado pela correção da palavra intenÇão. Sempre é bom aprender com as outras pessoas.
      Cada mãe irá sempre defender sua opinião em relação a criação de seu filho, uma vez que no Brasil existe o direito de manifestar livremente opiniões, ideias e pensamentos.
      O tempo sempre mostra se o que escolhemos foi apropriado ou não, e o resultado disto aparece no decorrer dos anos.
      Uma mãe sempre tenta buscar o melhor para seu filho.

      Excluir
  35. Poxa, que texto lindo! Obrigada por escrevê-lo!
    Sou uma mãe que trabalha fora E em casa... e é bem como vc descreveu.

    Abraços,
    Marcia

    ResponderExcluir
  36. Hj em dia tem mulher se fazendo de vitima do tipo "ai tenho que trabalhar eu sofro etc..." Ai no trabalho fala para as mulheres "odeio ficar em casa, me sinto mal, ficar limpando a casa e cuidando de filho" ihhhh ja vi e vejo muitaaaaa mulher falar assim.
    Esse negocio de tempo x qualidade é balela, fala pro seu chefe que vc vai trabalhar 3 horas por dia e ter qualidade então, não existe! Com criança é a mesma coisa!! Eles precisam de maes, da familia estruturada, organizada ...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E o que impede a pessoa de sofrer da maneira como vc falou? Para as mães que trabalham o problema é exatamente esse! A culpa por deixar os filhos e irem trabalhar, mas ao mesmo tempo a vontade de ter uma carreira e serem independentes. Família estruturada e organizada não pode ter mãe que trabalha? Quanto preconceito!

      Excluir
  37. As mães não precisam ser dondocas para não dar atencas de qualidade aos filhos. Muitas deixam o filho o dia inteiro na televisão enquanto fazem os seus afazeres domésticos.
    Eu pergunto, a criança que foi pra creche e por isso, acompanhada de profissionais, e devidamente estimulada, e sua mãe que trabalha fora, ao busca-lo na escola, brinca, conversa, da banho, jantar, etc... Não se sente amado????
    E a criança que fica em casa, entediado, sem uma mãe disponível para ele, e que não foi a escola, nos primeiros anos de vida, e fica a maior parte do seu tempo em frente a uma TV, ou acompanhando a mãe nos seus compromissos de adulto, tais como, banco, e lugares entediantes para criança, e ai elas ficam em joguinhos de telefone etc, para não atrapalhar...
    Convenhamos, que esses comentários são radicais, e o que vemos hj na maioria das vezes e este cenário. Mais que carregam os filhos, e não que levam os filhos para passear, para ver o mundo e descobrir coisas.
    Os valores estão distorcidos por conta da ausência de exemplos, e estar em casa sem dar exemplo não funciona,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com vc e espero sinceramente que vc esteja certa, pois é isso o que eu faço com meu filho e quero o melhor pra ele. Uma das pessoas que me "condenou" por eu mandá-lo para o berçário tão novo um dia me disse que criou o filho no cercadinho enquanto fazia tudo o que se tem pra fazer em uma casa (serviço que não acaba nunca). Eu não consegui entender como a vida daquela criança (que já é adulta) foi melhor que a do meu filho.

      Excluir

 

Gravidicas Copyright © 2012 Design by Ipietoon Blogger Template